Irradiado não é Contaminado

No último post eu falei sobre o uso da radiação na esterilização de equipamentos, utilizando os mesmos princípios se faz também a irradiação de alimentos para retardar o tempo de apodrecimento e garantir que possam ser consumidos em um período de tempo maior. Apesar dos benefícios, a irradiação de alimentos no Brasil ainda não é unanimidade, por que existe muito preconceito e medo da radiação. Muita gente acha que ao irradiar um alimento ou qualquer outra coisa, esse se torna radioativo ou contaminado com radiação. Não é assim que acontece.

Irradiado não é contaminado. Calma, eu explico. Quando fazemos uma radiografia, por exemplo, somos irradiados, mas não somos contaminados, ou seja, nada em nós fica radioativo. Pra se contaminar com radiação, falando de uma forma bem direta, tem que se sujar com o material radioativo. Já faz um tempinho que Deus me falou algo sobre isso.

Jesus orou “Não peço que os tires do mundo, mas que os livres do mal” (João 17:15). Estamos no mundo é fato, mas não podemos nos contaminar com o mundo. Como na proteção radiológica, irradiado não é contaminado. Na nossa vida com Deus, estamos no mundo, mas não somos do mundo.

Trabalhamos, estudamos no mundo, fomos enviados ao mundo (I João 17:18). E como Daniel, precisamos decidir não nos contaminar (Daniel 1:8). Isso me lembra uma música do meu amigo Joel Jordão. Não se contamine. A bíblia nos adverte “Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele” (I João 2:15), é uma questão de decisão. Preciso decidir na minha vida, não amar as coisas do mundo.

Tem outra música do Joel que diz “O mundo pode querer me tragar, e com pressões me influenciar” estamos sendo irradiados pelo mundo todos os dias, toda hora. Vou repetir pra ninguém esquecer:  irradiado não é contaminado. “Mas se na rocha eu firmado estou, minha vitória Garantida está.” “… e esta é a vitória que vence o mundo, a nossa fé.” (I João 5:4).

Seja Sensível

Durante o curso de formação de Supervisor de Radioproteção, tive a oportunidade de visitar uma empresa que faz esterilização de equipamentos e materiais por meio da radiação. A ideia é relativamente simples. O material passa por um feixe de elétrons acelerados com energia suficientemente alta para matar os microorganismos existentes e assim esteriliza-lo. Essa é mais uma aplicação fantástica da radiação, mas o post não é sobre isso. Quero dizer, não é diretamente sobre isso.

Existe uma logística para que esse processo todo acontecer e enquanto nós estávamos conhecendo a instalação, a engenheira nos explicava todo esse processo. Para controlar quais caixas já foram irradiadas, eles usam umas etiquetas radiossensíveis. Essas etiquetas são feitas por um tipo especial de polímero, que eu sinceramente não sei qual é. Esse polímero muda de cor de acordo com a quantidade de energia que absorve da radiação, na física a gente chama isso de dose absorvida. Antes de ser irradiada ela é amarela e vai ficando alaranjada até ficar vermelha quando recebe uma dose determinada.

Eu fiquei pensando em como essa etiqueta se transforma quando interage com a radiação e Deus Falou comigo. De que maneira eu sou transformada pela presença de Jesus na minha vida? Essa presença está fazendo diferença em mim? A bíblia diz que “fomos sepultados com ele pelo batismo na morte; para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos, pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida.” (Romanos 6:4).

Fico refletindo a que nós somos sensíveis? Uma dificuldade nos desanima, qualquer coisinha nos chateia e nos deixa estressados. Deus quer que sejamos sensíveis ao seu Espírito, que escutemos a suas orientações e sigamos a direção que Ele indica.

“Vermelho é esterilizado” é o que diz a etiqueta radiossensível. E a nossa vida, o que diz? Ela deveria dizer: “Amável é cheio do Espírito”; “Alegre é cheio do Espírito”; Longânimo é cheio do Espírito”; “Benigno é cheio do Espírito”. Para uma lista maior, leia Gálatas 5:22, Mateus 11:29 e Efésios 4:32 e seja cheio.

Isolamento Acústico

O isolamento acústico é o processo que impede a transmissão sonora de um ambiente para o outro. O som é uma onda mecânica e para isolá-lo usam-se camadas de materiais densos que dissipam a energia da onda sonora.

Isso é muito útil para minimizar os ruídos que tanto nos incomodam. Quem nunca precisou fechar uma porta para se concentrar em alguma coisa? Nesse exemplo comum a porta e as paredes funcionam como isolantes do som. Em algumas situações o isolamento acústico além de útil é indispensável, como nos estúdios musicais, por exemplo.

Não quero entrar em muitos detalhes sobre isolamento acústico, afinal esse é um blog sobre as coisas que Deus fala e acredito que ninguém por aqui esteja interessado em saber como isolar Sua doce voz.

O fato, entretanto é que existe algo capaz de fazê-lo, o pecado. O pecado nos atrapalha em ouvir a voz de Deus, eu diria mais, diria que não só nos atrapalha de ouvi-lo como também impede que ele ouça nossas súplicas. “Mas as vossas iniquidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que não vos ouça.” (Isaías 59:2)

Quando alguém precisa de um isolamento acústico, contrata uma empresa especializada que faz um tratamento, nas janelas, portas, paredes pisos ou tetos. Para minimizar o efeito desse isolamento basta abrir as janelas.

E para resolver o problema do isolamento acústico causado pelo pecado? A solução é simples e está disponível para todos que quiserem. É Jesus, mais precisamente seu sangue, e a confissão desses pecados. “Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado” (I João 1:7)

Livre-se do isolamento acústico, afastando-se do pecado. quando por ventura pecar, confesse pois “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça” (I João 1:9)

Sintonize-se

Continuando a falar sobre ouvir a voz de Deus e sobre a propagação do som gostaria de fazer uma reflexão sobre o funcionamento do rádio. Você sabe como funciona o rádio? Qual é o mecanismo que nos permite selecionar estações diferentes e o que isso tem haver com as coisas que Deus fala?

O rádio é um instrumento que transmite sinais através da modulação das ondas eletromagnéticas. Dois componentes básicos são necessários um transmissor, que envia a informação, e um receptor que recebe. Fazendo uma analogia simples, se Deus é o transmissor, a informação é o que Ele quer nos falar e nós somos os receptores.

Para enviar uma mensagem o transmissor a codifica em uma onda senoidal e a transmite em uma onda de rádio. Cada sinal de rádio diferente usa uma frequência de onda senoidal, é dessa forma, que os sinais são todos separados. Quando o receptor recebe as ondas, ele as decodifica.

As ondas de rádio têm diferentes frequências e para escolher a estação certa e ouvir o que te interessa você precisa sintonizar seu receptor em uma frequência específica, pois um receptor recebe milhares de informações. Na nossa analogia também é assim, além da voz de Deus, ouvimos pessoas que querem nos ajudar, outras que tentam nos atrapalhar, ouvimos a voz do diabo e também nossas próprias convicções e medos.

Então entra em ação o sintonizador que tem o trabalho de separar uma onda das milhares de ondas que o receptor recebe. No nosso caso o sintonizador é o Espírito Santo que nos ajuda a receber as mensagens de Deus. Os sintonizadores funcionam usando um princípio chamado ressonância, eu já escrevi sobre a ressonância aqui.

Os sintonizadores ressoam e amplificam uma frequência específica e ignoram todas as outras. Para que o Espírito nos ajude a sintonizar a voz de Deus precisamos estar em comunhão frequente com Ele. Glória a Deus pelo Espírito Santo que está aqui para nos fazer ouvir e lembrar tudo o que Deus nos diz (Joaão 14:26).

Adote um Referencial

A ideia do post surgiu a partir de uma conversa com uns colegas de trabalho. O assunto eram as camisetas bem humoradas que os estudantes de física fazem com ilustrações e frases engraçadas que misturam física com as outras coisas.

Quando eu vi o “Adote um Referencial” achei muito engraçado e bem sacado, fiquei me lembrando depois e Deus falou comigo.

O conceito de referencial é um dos primeiros conceitos que se fala nas aulas de física da escola. Com aquela pergunta “Nós estamos parados ou em movimento?” e aquela resposta clássica: “Depende do referencial”.

No passado acreditava-se que a Terra estava parada, porque do nosso ponto de referência é assim que a percebemos. Hoje se sabe que a Terra executa movimentos, a rotação é um exemplo. E aquela história de saber se o sinal é positivo ou negativo? A maioria se confunde nisso. Pode parecer bobagem, mas não é. De fato na física tudo depende do referencial.

No nosso cotidiano as vezes, somos tomados por dúvidas acerca de nossas ações e pensamentos e nos perguntamos “será que isso é pecado” ou “fazer aquilo é mesmo errado” “Eu acho que não tem nada demais” Eu vou te responder com a mesma reposta clássica da física: “Depende do referencial”

O padrão de Deus é a santidade. “Porque esta é a vontade de Deus, a vossa santificação” (I Tessalonicenses 4:3). Ele mesmo disse: “Portanto santificai-vos, e sede santos, pois eu sou o Senhor vosso Deus” (Levítico 20:7). E o seu referencial para esse padrão de santidade é Jesus “O qual não cometeu pecado, nem na sua boca se achou engano.”(I Pedro 2:22).

O propósito de Deus é que Seus filhos sejam semelhantes à Jesus. “Ele nos escolheu para sermos conforme à imagem de Seu Filho” (Romanos 8:29).

Então quando você estiver em dúvida reflita “Jesus faria isso?” “O que Jesus faria?” Adote um referencial, eu diria mais, diria adote o referencial. Escolha o certo. Seja Jesus o seu referencial e exemplo.

De Quem é Essa Voz

Que Deus fala com a gente é fato. Mas, o que todos querem saber é como escutar a voz Dele. Todo mundo que se relaciona, ou quer se relacionar com Deus já teve essa dúvida: Será que dá pra ouvir a voz Deus? Eu ousaria dizer que sim. E gostaria fazer uma série de posts sobre a propagação do som para mostrar como isso é possível. Vem comigo?

O som é uma onda mecânica, produzida pela vibração de algum corpo ou material. O som da nossa voz, por exemplo, é produzido quando o ar vindo dos pulmões passa pelas pregas vocais, fazendo-as vibrar. O ar vai se modificando e articulando os sons que quando são emitidos pela boca, criam a onda sonora que vai atingir o ouvinte.

As diferentes velocidades de vibração (que na física a gente chama de frequência) existem por causa das diferenças anatômicas das cordas vocais de cada pessoa. Alguns falam grave, outros mais agudo e assim cada um tem sua voz característica que pode ser reconhecida e até imitada.

O que diferencia um som de outro é a frequência da vibração que o produziu. O ouvido humano é capaz de ouvir sons com frequência entre 20 Hz e 20000 Hz. A frequência da voz humana está entre esse intervalo, por isso nós conseguimos ouvir uns aos outros.

E a voz de Deus, com que frequência se propaga? Eu sinceramente não faço a mínima ideia, mas tenho certeza que podemos ouvi-la e reconhecê-la. Na bíblia, no livro de João capítulo 10 Jesus diz que Ele é o bom pastor, e que suas ovelhas ouvem, conhecem a sua voz e o seguem.

A questão aqui não é só ouvir a voz de Deus, mas também conhecê-la. Um bebê é capaz de conhecer a voz de sua mãe. Quando a gente ouve muito determinado cantor é capaz de reconhecer a sua voz, mesmo que ele esteja cantando uma música diferente.

Ai você vai me perguntar: como vou reconhecer a voz de Deus se nem sou capaz de ouvi-la? Ei eu vou te responder que: Deus está falando com você e pode ser até que você já esteja ouvindo, mas não consiga reconhecer. Por que para reconhecer a voz de Deus precisamos conversar muito com ele, através da oração; familiarizar-nos com suas várias maneiras de falar, seja através da palavra, dos irmãos ou do silêncio, por exemplo. O primeiro passo para ouvir e reconhecer a voz de Deus é conversar bastante com Ele.

Condutor ou Isolante?

O que você faz com as coisas que recebe de Deus? As bênçãos, a vida nova que Ele te deu, as coisas que Ele te fala, e o que você aprende Dele? Você é do tipo que compartilha com as outras pessoas ou guarda tudo pra você?

Dividir experiências pessoais com o propósito de edificar a outra pessoa é uma das formas de ser usado por Deus. Existem outras. Essa é apenas uma delas. É uma sensação ótima, poder ajudar outra pessoa a superar dificuldades que a gente já superou em Deus. A bíblia chama isso de consolar. “Bendito seja o Deus de toda a consolação; Que nos consola em toda a nossa tribulação, para que também possamos consolar os que estiverem em alguma tribulação, com a consolação com que nós mesmos somos consolados por Deus.” (II Coríntios 1:2-4).

O que você quer ser no Reino de Deus, condutor ou isolante? Quer deixar Deus te usar ou prefere não compartilhar seus aprendizados com ninguém?

Na física chamamos de condutores os corpos que são susceptíveis de transmitir calor e eletricidade, o princípio é o mesmo. Um condutor é caracterizado pela facilidade de transferência de elétrons, os metais são bons exemplos disso. Por isso os fios elétricos são de metal.

Seguindo a mesma ideia, isolantes são materiais que proporcionam barreiras ao calor e eletricidade. Como exemplo, posso citar a borracha e plásticos que revestem os fios permitindo que a corrente elétrica seja conduzida de forma segura.

Os isolantes possuem poucos elétrons livres, e o que torna um material um bom condutor é a quantidade de elétrons livres que ele apresenta.

Espero que ninguém queira se tornar um isolante de Deus. Então surge a pergunta: O que eu preciso para ser um bom condutor no Reino de Deus? Antes de tudo é preciso disponibilidade, se você quiser e estiver disponível, Deus vai usá-lo. Depois, sensibilidade ao que Deus está falando com você, para adquiri-la invista um tempo em oração e meditação na palavra de Deus, um pouco de ousadia também é importante para abrir a boca na hora certa de abençoar alguém.