Arquivo de Tag | Radiação

Irradiado não é Contaminado

No último post eu falei sobre o uso da radiação na esterilização de equipamentos, utilizando os mesmos princípios se faz também a irradiação de alimentos para retardar o tempo de apodrecimento e garantir que possam ser consumidos em um período de tempo maior. Apesar dos benefícios, a irradiação de alimentos no Brasil ainda não é unanimidade, por que existe muito preconceito e medo da radiação. Muita gente acha que ao irradiar um alimento ou qualquer outra coisa, esse se torna radioativo ou contaminado com radiação. Não é assim que acontece.

Irradiado não é contaminado. Calma, eu explico. Quando fazemos uma radiografia, por exemplo, somos irradiados, mas não somos contaminados, ou seja, nada em nós fica radioativo. Pra se contaminar com radiação, falando de uma forma bem direta, tem que se sujar com o material radioativo. Já faz um tempinho que Deus me falou algo sobre isso.

Jesus orou “Não peço que os tires do mundo, mas que os livres do mal” (João 17:15). Estamos no mundo é fato, mas não podemos nos contaminar com o mundo. Como na proteção radiológica, irradiado não é contaminado. Na nossa vida com Deus, estamos no mundo, mas não somos do mundo.

Trabalhamos, estudamos no mundo, fomos enviados ao mundo (I João 17:18). E como Daniel, precisamos decidir não nos contaminar (Daniel 1:8). Isso me lembra uma música do meu amigo Joel Jordão. Não se contamine. A bíblia nos adverte “Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele” (I João 2:15), é uma questão de decisão. Preciso decidir na minha vida, não amar as coisas do mundo.

Tem outra música do Joel que diz “O mundo pode querer me tragar, e com pressões me influenciar” estamos sendo irradiados pelo mundo todos os dias, toda hora. Vou repetir pra ninguém esquecer:  irradiado não é contaminado. “Mas se na rocha eu firmado estou, minha vitória Garantida está.” “… e esta é a vitória que vence o mundo, a nossa fé.” (I João 5:4).

Anúncios

Seja Sensível

Durante o curso de formação de Supervisor de Radioproteção, tive a oportunidade de visitar uma empresa que faz esterilização de equipamentos e materiais por meio da radiação. A ideia é relativamente simples. O material passa por um feixe de elétrons acelerados com energia suficientemente alta para matar os microorganismos existentes e assim esteriliza-lo. Essa é mais uma aplicação fantástica da radiação, mas o post não é sobre isso. Quero dizer, não é diretamente sobre isso.

Existe uma logística para que esse processo todo acontecer e enquanto nós estávamos conhecendo a instalação, a engenheira nos explicava todo esse processo. Para controlar quais caixas já foram irradiadas, eles usam umas etiquetas radiossensíveis. Essas etiquetas são feitas por um tipo especial de polímero, que eu sinceramente não sei qual é. Esse polímero muda de cor de acordo com a quantidade de energia que absorve da radiação, na física a gente chama isso de dose absorvida. Antes de ser irradiada ela é amarela e vai ficando alaranjada até ficar vermelha quando recebe uma dose determinada.

Eu fiquei pensando em como essa etiqueta se transforma quando interage com a radiação e Deus Falou comigo. De que maneira eu sou transformada pela presença de Jesus na minha vida? Essa presença está fazendo diferença em mim? A bíblia diz que “fomos sepultados com ele pelo batismo na morte; para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos, pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida.” (Romanos 6:4).

Fico refletindo a que nós somos sensíveis? Uma dificuldade nos desanima, qualquer coisinha nos chateia e nos deixa estressados. Deus quer que sejamos sensíveis ao seu Espírito, que escutemos a suas orientações e sigamos a direção que Ele indica.

“Vermelho é esterilizado” é o que diz a etiqueta radiossensível. E a nossa vida, o que diz? Ela deveria dizer: “Amável é cheio do Espírito”; “Alegre é cheio do Espírito”; Longânimo é cheio do Espírito”; “Benigno é cheio do Espírito”. Para uma lista maior, leia Gálatas 5:22, Mateus 11:29 e Efésios 4:32 e seja cheio.

Diagnóstico Por Imagem

Quando vamos ao médico e ele precisa investigar as causas do problema que nos levou até lá, ele solicita um exame para diagnóstico. As possibilidades são várias.

Muita gente nem imagina, mas os exames super modernos de diagnóstico por imagem tem tudo haver com física. Tudo começou com o Roentegen, a ele se atribui a descoberta dos raios x. Quando ele descobriu que os então desconhecidos raios eram capazes de impressionar películas fotográficas e era possível ver a estrutura óssea; tirar radiografia virou a sensação do momento.

Conta-se que todos queriam tirar uma radiografia para ver e mostrar como era sua caixa toráxica ou como o pé ficava dentro do sapato. Exageros a parte, imagine a revolução que isso representou na medicina, a possibilidade de ver dentro do corpo humano sem a necessidade de abri-lo. Desde então os cientistas e engenheiros trabalham para aperfeiçoar os aparelhos e a qualidade das imagens. Eu tenho que dizer que eles têm alcançado seus objetivos.

Antes que eu me empolgue e comece a falar mais sobre radiação, assunto que eu gosto muito; vamos ao que interessa. É que o Paulinho falou hoje que teve que fazer um exame de ressonância magnética e ficou impressionado com a imagem obtida. Ressonância magnética não tem radiação, é campo magnético  mais também tem tudo haver com física.

Voltando ao que o Paulinho falou, “Entrei naquele tubo, depois quando vi o exame, vi como, sou por dentro”. É realmente uma coisa impressionante, e o que o Paulinho disse depois é que Deus nos conhece melhor do que qualquer exame de diagnóstico que possa existir.

Tá na bíblia: “Tu criaste o íntimo do meu ser e me teceste no ventre de minha mãe. Meus ossos não estavam escondidos de ti quando em secreto fui formado e entretecido como nas profundezas da terra. Os teus olhos viram o meu embrião”. (Salmo 139: 13, 15-16)

Diante disso eu só tenho a dizer o que o próprio salmista já disse “maravilhosas são as tuas obras, e a minha alma o sabe muito bem” (Salmo 119: 14).

Deus nos conhece por fora, pro dentro, de cabeça pra baixo e pelo avesso. Não adianta se esconder ou fingir. Ele é capaz de diagnosticar o meu pecado mais íntimo e sondar meu interior.

Sou muito grata a Ele por isso, e como Davi quero clamar: “Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece os meus pensamentos. E vê se há em mim algum caminho mau, e guia-me pelo caminho eterno”. (Slamo 139:23-24)

Muda a Escala

Dia desses,estava comendo caranguejo com uns amigos. No meio da conversa,  me lembrei do contador Geiger ai fui explicar pra eles como funciona.

Muda a escala pra parar de apitar

O Contador Geiger-Muller é um detector de Radiação ionizante, usado para indicar a presença e medir a quantidade de radiação. O visor do contador tem mais de uma escala e o usuário deve escolher em qual delas quer ler a medida. Isso depende da quantidade de radiação.

Pra começar escolhemos a maior escala, se a radiação não for suficiente pra sensibilizar o medidor, passamos pra escala menor e assim sucessivamente até conseguirmos a medida. Quando a quantidade de radiação é grande e o ponteiro encosta no final da escala o contador emite um som. É um bipe bem chatinho de ouvir. Se começamos pela escala maior, e logo de cara o bipe apitar é sinal quem tem “muita radiação” no ar.

Se fossemos começar pela escala menor, seria um apitado chato até chegarmos à escala correta. Não sei se essa é a razão pra começar pela maior, mas lembro que quando fiz meu estágio curricular, a outra estagiária foi me mostrar como se fazia a medida, assim que ela ligou o contador ele começou a apitar. Na minha falta de experiência tive vontade de correr, imaginando que estava “vazando” radiação pra todo lado. Ela foi mudando a escala e me explicou que tudo estava dentro dos conformes.

Sabe aquelas pessoas que gostam de reclamar e colocar defeito em tudo? Ou está sempre falando mal de alguém e arrumando confusão? Quando lembro do detector de radiação tenho vontade de dizer “Vê se muda de escala, pra parar de apitar” Porque vamos combinar que esse apitado é muito desagradável.

A bíblia ensina que “daqui por diante a ninguém conhecemos segundo a carne” (2 Coríntios 5:16) então temos que mudar a escala pra parar de achar defeitos nas pessoas. Murmurar então? Vamos mudar a escala e “Fazer todas as coisas sem murmurações nem contendas” (Filipenses 2:14).

A mudança principal que precisamos fazer na nossa vida é “não viver mais segundo as concupiscências dos homens, mas segundo a vontade de Deus” (1 Pedro 4:2).

Princípios Básicos de Proteção

Vamos falar sobre a radiação. Eu particularmente sou fascinada por ela, suas propriedades, aplicações, sua interação com a matéria. Mas, nem tudo são flores. Você provavelmente já ouviu falar dos perigos da radiação. Aquelas histórias das bombas atômicas e as polêmicas sobre o uso da energia nuclear. É meu amigo, radiação não é brincadeira, ela pode causar danos sérios à saúde e até matar.

O risco é muito grande, pra evitar qualquer problema, nada de radiação. Ninguém vai mais fazer Raios-X, esqueçam os medidores de nível, e energia nuclear então… Nem pensar! As coisas não são assim, não dá pra simplesmente ignorar suas vantagens. É ai que entra a Proteção Radiológica.

Organizações internacionais de proteção radiológica estabeleceram os Requisitos Básicos de Radioproteção; são eles: Justificação, Otimização e Limitação da dose. Resumindo é mais ou menos assim. A prática que use radiação só vai ser autorizada se ela for justificada, ou seja, se o benefício produzido for maior que o dano correspondente. Já que vai usar a radiação e não tem outro jeito, então use de forma otimizada, pra que a exposição seja a mais baixa possível. E, para o seu próprio bem, respeite os limites de dose estabelecidos.

Além dos requisitos básicos, há também os Fatores de Radioproteção: Tempo, Blindagem e Distância. A exposição à radiação é diretamente proporcional ao tempo, inversamente proporcional ao quadrado da distância e depende da blindagem. Calma, eu explico. Quanto mais tempo você ficar exposto maior a probabilidade de dano, quanto mais longe você estiver maior a segurança e a blindagem é a barreira física, uma placa de chumbo ou uma parede por exemplo. Tá achando muito? Eu disse que a parada é séria.

Agora que já dei uma noção geral de proteção radiológica, eu quero fazer uma comparação. Vem comigo. Vamos comparar a radiação com o mundo. “O mundo jaz no maligno” (I João 5:19) é tanta sujeira, desonestidade, mentira. Mas não dá pra sair do mundo. A gente tem que trabalhar, estudar, tem que ganhar gente pra Jesus. Isso tudo acontece no mundo. O próprio Jesus disse “não peço que os tire do mundo, mas que os livres do mal” (João 17: 15). Não somos do mundo, mas estamos nele. E precisamos ter cuidado para não nos contaminar.

Que tal usar contra o pecado os mesmos fatores de Proteção Radiológica?

Para o uso da radiação temos a proteção radiológica e para viver neste mundo em santidade e pureza temos os princípios estabelecidos pela palavra de Deus – a Bíblia. Jesus nos disse pra vigiar, temos que ser luz, justificar a nossa presença no mundo fazendo a diferença. Nos envolvendo o mínimo possível com os cuidados do mundo.

Que tal usar os mesmos fatores da radioproteção? Pra quê ficar tanto tempo ocupado com as coisas do mundo? Vamos gastar nosso tempo com coisas que fortaleçam o nosso espírito como a oração, a leitura da palavra e a edificação mútua. Vamos manter uma distância de segurança. Não estou falando só do pecado. Todo discípulo tem que se afastar do pecado. Eu diria mais, diria que temos que nos afastar das coisas que vão nos levar a pecar. A bíblia chama isso de concupiscência da carne e concupiscência dos olhos “essas coisas não são do Pai, mas do mundo” (I João 2:16). A armadura de Deus (Efésios 6: 11 -18) é a blindagem ideal para proteger o discípulo de Jesus.

Para encerrar quero falar sobre o decaimento radioativo. Por mais útil que a radiação seja com o passar das meias-vidas, sua utilidade vai acabando; e o mundo, por mais atrativo que pareça também tem seus dias contados. Não sou eu que estou inventando, tá na bíblia “o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre” (I João 2:17). A escolha é sua.